Menu

Ensino do Holocausto, uma conquista a ser lembrada no Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

2018-01-18 - Uncategorized

“Creio que essa é certamente uma grande vitória para nós, judeus brasileiros, para os que ensinam história judaica e para as instituições representativas da comunidade judaica, que há muitos anos vêm lutando para que esse resultado fosse alcançado. O MEC e o ministro Mendonça (Filho) foram parceiros relevantes, o que merece ser registrado”. “Com isso, o Brasil passa a cumprir algumas das resoluções de organismos internacionais (ONU/UNESCO) que cobram a obrigatoriedade do ensino do Holocausto, o que também é digno de registro”. “Meus cumprimentos a todos os que ajudaram para que chegássemos a esse resultado!”, declarou o presidente da Confederação Israelita do Brasil, Fernando K. Lottenberg.

Conib havia encaminhado documento em novembro ao Conselho Nacional de Educação sugerindo a inclusão dos temas da Inquisição no Brasil e do Holocausto na Base Nacional Comum Curricular.

O Dia Internacional do Holocausto será lembrado em evento promovido pela Confederação Israelita do Brasil (Conib), pela Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp)  e pela Congregação Israelita Paulista (CIP), no domingo, 28 de janeiro, às 18h30, na Sinagoga Etz Chaim da CIP, um ato solene em memória às vítimas do Holocausto.

O evento contará com a presença do jornalista e apresentador Zeca Camargo, que esteve recentemente em Israel e relatará sua experiência na Terra Santa, além de autoridades políticas, religiosas e comunitárias e sobreviventes do Holocausto.

No hall da entidade acontecerá a exposição “ Além do Dever – Diplomatas reconhecidos como Justos entre as Nações”, produzida pelo Yad Vashem (Museu do Holocausto de Israel) e que está sendo trazida pelo Consulado Geral de Israel em São Paulo.

Joshua Strul, será homenageado representando os sobreviventes que participarão do ato. Ele é atendido pela Claims Conference, organização internacional que negocia indenizações e reparações de guerra junto aos governos europeus para os sobreviventes judeus do Holocausto em todo o mundo, e que no Brasil é representada pela Unibes.

Para  Luiz Kignel,  presidente da Federação Israelita do Estado de São Paulo, “o Dia  em Memória do Holocausto não é uma data isolada em nosso calendário. É um momento para renovar e fortalecer o alerta constante contra qualquer ato de discriminação e racismo. É também uma mensagem de fé aos nossos filhos e netos para que a história de nosso povo seja transmitida para as próximas gerações”.

O evento conta com o apoio da Agência Judaica para Israel, A Hebraica, Arq Shoa, B’nai B’rith, Beth- El, Comunidade Shalom, Consulado Geral de Israel em São Paulo, Fundo Comunitário, KKL Brasil, Sherit Hapleitá, Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein e Unibes.

 A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou em 2005 umaresolução instituindo 27 de janeiro como o Dia Internacional em Memória das  Vítimas do Holocausto. A data é uma homenagem aos seis milhões de judeus e às outras vítimas da exterminação nazista. A resolução rejeita qualquer questionamento de que o Holocausto foi um evento histórico, enfatiza o dever dos Estados-membros de educar futuras gerações sobre os horrores do genocídio e condena todas as manifestações de intolerância ou violência baseadas em origem étnica ou crença.

No Brasil, a lei que institui um dia em memória às vítimas do Holocausto, é de autoria do então vereador e hoje Secretário Estadual de Desenvolvimento Social e Deputado Federal Floriano Pesaro,  e foi sancionada pelo  prefeito Gilberto Kassab no dia 12 de dezembro de 2009.

Comments

comments

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *