Mensagem de Rosh Hashaná da CONIB

Amigas e amigos da comunidade judaica brasileira

Na tarde do próximo dia 20 de setembro teremos o início, pelo calendário judaico, do ano 5778.

Rosh Hashaná, o Ano Novo judaico, celebra a criação do mundo e da humanidade. A festa não comemora algum acontecimento específico do povo judeu. É uma ocasião em que pedimos por um maior entendimento entre todos os seres humanos. E é em busca deste entendimento que interagimos com a sociedade brasileira.

Em 5777, tivemos grandes conquistas para nossa comunidade, entre elas a mudança de data da prova do ENEM, que deixa de ser aplicada aos sábados, coroando o esforço também de gestões anteriores.

Tivemos uma intensa atuação diplomática de bons ofícios entre os governos do Brasil e de Israel, para que fosse superada a crise decorrente da nomeação do embaixador. Ao mesmo tempo, criticamos fortemente o voto brasileiro em organismos internacionais, a favor de resoluções de claro viés anti-israelense.

Consideramos que a melhor forma de entender a complexidade do conflito no Oriente Médio é visitar Israel. Assim, levamos ao país neste ano ministros e parlamentares brasileiros para que pudessem conhecer os principais aspectos da sociedade israelense, dentro de uma perspectiva democrática e transparente.

Em paralelo, agimos de forma contundente contra todas as manifestações de antissemitismo e antissionismo no Brasil, como o episódio na Universidade Federal do ABC, que pediu desculpas pela publicação de um edital de claro viés anti-israelense.

Continuamos a priorizar o fortalecimento da educação judaica no Brasil, com a realização de encontros entre as escolas judaicas e também de encontros regionais destinados ao público das comunidades judaicas do Norte e Nordeste.

O desenvolvimento comunitário é uma das metas que o rabino Jonathan Sacks, uma das principais lideranças judaicas do mundo, atribui a si próprio. Essa tarefa também é perseguida pela Conib como parte de sua missão: reforçar o sentido comunitário e a identidade brasileira e judaica. Para Sacks, contar a nossa história, quem somos, de onde viemos, por quais ideais vivemos, nos tornará suficientemente fortes para acolher o Outro e dizer-lhe: “Venha e compartilhe nossas vidas, nossas histórias, nossos objetivos e sonhos”.

O rabino acredita que a mensagem do judaísmo não é restrita ao povo judeu e que, de certa forma, ao expressarmos ao mundo nossa tradição, apropriamo-nos de nossa história e rituais, fortalecendo nossa identidade – individual e coletiva. Ele defende a importância de apreciar as diferenças entre as religiões e facilitar que as pessoas encontrem a presença divina em suas diferentes manifestações.

Que prevaleça em 5778 o respeito à diversidade humana. Que aumente o conhecimento entre os diferentes, para que desapareçam o discurso e a prática do terror e do ódio.

Desejamos a todos Shaná Tová, um feliz Ano Novo!

Fernando Lottenberg
Presidente da Confederação Israelita do Brasil

label

About the author

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *